quarta-feira, 29 de julho de 2009

Antes, agora e depois.

Amigo que é e nos chama.

Agora, quem somos e com quem estamos?

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Amigo.

Se fala, se faz e se pensa; e tá lá a traição contra um amigo tão únco, tão meu, tão misericordioso. Não se cansa mas entristece, e poucos percebem, poucos sentem, se sentam e choram, e na verdade, o deixa de lado, afinal somos sacerdotes, somos levitas, cuidamos do templo e de suas canções. Mas deixa, é amigo leal, não se desprendendo do que sabe sobre cada um, mas ainda amando, ainda acreditando, ainda torcendo para um fim das misérias de nosso coração. Sabe quem somos e não foge, tá ali, pronto a receber novamente o coração da amada; amada miserável e ignorante que passa longe, tão cheia de si, tão cheia de ódio, tão cheia de desamor, mas ainda quer ser amigo. Ele ainda assim pede que o exploremos em intimidade, ainda tão pretenciosa achando que já o conhece, que já mergulhou. Haha, não nos castiga por nossas contradições, é amigo paciente ciente onde entende que as palavras nem sempre valem, e também, nem mesmo as atitudes muitas vezes corroídas por desejos. Esse amigão vai direto no coração. rs

Que absurdo, é amigo que investe, conhece e se lembra! Lida com nossas sombras em amor não desprezando uma atitude, uma voz, um olhar voltado novamente pra ele. Não, ele não despreza, afinal, gosta das crianças que mesmo aprontando, caindo e se machucando, se devolvem em sorrisos onde esquecem da travessura passada que derraparam. Esse amigão quer que seus meninos cresçam, mas ainda se formos como criança, ele não se abstém e retorna em abrir os braços, aaaa como ama o retorno.

É mesmo cheio de bondade, mas não se anula preferindo a sinceridade, porque como disse Confucio, "entre amigos as frequentes censuras afastam a amizade", prefere a lama e o lodo em nossa roupa do que a armadura de Saul. Sim, prefere conhecer o arrependimento da fraqueza reconhecida do que a roupa de palhaço. É ele quem dá a graça e não nossos atos de ar triste. Releva as decepções que causamos porque sabe que não somos confiáveis e entende que foram muitas atitudes mal entendidas, por não entendermos ao certo a lição já dada.

Amigo, amigo, amigo, dá flores sem tirar uma do lugar. Dá chaves que abre a porta da vida. Aaaaa é remédio para os machucados, é antídoto para os venenos...

Parceirão que quer ter muito mais que um milhão de amigos!! E a cada simples situação me chama pra perto, e eu constrangida entendo que preciso oferecer o ombro pra ele, logo, e claramente, para outros.


(...)

"Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí."

Feliz dia do amigo...

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Canta TU!


Candeeiro
Eu careço de luz o ano inteiro
Minha gente inda dança fevereiro
E eu correndo na rua a lhe chamar, candeeiro

Candeeiro
A estrada já vai escurecendo
Minha gente se olha e não tá vendo
Querosene acabou, vou lhe chamar, candeeiro
Querosene acabou, vou lhe chamar

Candeeiro
Cor dourada que ilumina o meu peito
Essa dor, candeeiro, não tem jeito
No vazio não tem como queimar, candeeiro

Candeeiro
Vó me disse, inda era pequenina
Vento bate com força na cortina
Candeeiro no chão pode queimar, candeeiro
Candeeiro no chão pode queimar
Pode queimar
Candeeiro no chão pode queimar, candeeiro
Candeeiro no chão pode queimar

"E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro. Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. " - Mt 25. 5-7

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Sim, preciso do Sol.

Sem nenhum véu me disponho a estar do seu lado pra sentir seu calor e me mover tirando a dor da paralização causada pela frieza do tempo... Revela em mim a sua essência mais íntima mostrando a real persona e não algo fictício.


Vou falar, com risos de desespero, hoje sabe-se menos o que realmente digo nessas linhas. Um pessoa realmente viva que se entrega a morte sob o fogo da metralha de milhares de homens entendendo que cada pessoa não é dela mesma, esta em extinção. A criatura padece em crise, e nela se encontra a esperança que crucifica a carne e faz viver o Redentor. Ah, se entendessêmos realmente que podemos não com o que somos, mas com a essência divina iluminar como o Sol.

São poucos hoje que sabem ser, e claro, não que eu saiba, mas sou a que busca, porém não busco mais romanticamente nas estrelas (rs) e nos livros. Começo a enxergar em mim o escuro e começo a perceber a imperceptibilidade. Sim, estou aprendendo. Claro, não é nada agradável, suave, leve e harmonioso, inclusive esta solitário, porém não é inventado. Circula entre os extremos da vida, onde a insensatez e o amor dão as mãos, onde a verdade e a loucura, são irmãs, onde não encontra espaço para mentir mais a si mesmo, e assim, entendendo o nosso abismo poderemos entender uns aos outros, e que logo, comece o sangue a circular...

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Rumo...

Prefiro me livrar da personagem e dos rótulos que teimam que eu beba, mas sempre acabo prestando atenção nessa água e me pergunto se a cada palavra dita funda o que sou, a realidade, logo noto que a água é turva e percebo que não prestaram atenção no que tento, então o que bebi, vomito para que um dia me queimem, "não quer água, toma fogo", e não é fogo do amor, fazer o que? Que pelo menos eu continue dizendo, minha alma não precisa de reconhecimento e fundamentalismo, porém não posso esquecer, as fogueiras da inquisição ainda ardem... Tô nem aí, meu alvo é o nada, o vazio. Quero encarnar Deus entre homens e mulheres e não viver; e nessa, descubro que com a aceitação no espírito começa a liberdade e com a consciência posso ter a prisão, rodando vou para o redemoinho e me vejo mais para teimosa e independente; onde dizem, é a minha essência, e talvez estejam certos, mas logo descubro que o aparentemente bom para minha lama/alma se aprofunda em dor na identificação que preciso encontrar no próximo o que me completa, então anulo rápido as minhas leviandades, pois quero aprender a amar, é verdade, quero aprender a adorar... A teimosia, ás vezes é boa, vira determinação, onde sou persistente mesmo vendo que no fim onde não há luz, podendo ser trágico, eu prossigo. Mas percebi que sozinha a resposta em mim é frágil, pequena e precária. E dela eu preciso, pois é faca de dois gumes: Coloca o meu coração na escolha da prontidão da solidariedade pela exposição mostrando a dor do amor ou o desamparo e a distância, pois denuncia a mentira de uma manipulada palavra verdadeira e transparente.

É isso, caminho destruindo o antigo, preferindo o silêncio e recusando distrações, pois as utopias me enraizaram, e agora, delirando abatida e enferma; aproveitei a anestesia e tatuei em mim a ferro o AMOR, e não tô para o ensaio solitário, estou sedenta, preciso e muito não só beber mas da transbordante Fonte que dá água VIVA, e dessas águas, de verdade, e um dia, jorrar de/em mim.

Toma meu coração e que eu siga em propósito...

No mesmo rumo: http://espectrumdaalma.blogspot.com/2009/05/em-direcao-ao-sol.html

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Continue mostrando...

"... Das trevas descobre coisas profundas, e traz à luz a sombra da morte."

"Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte, a fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz."