sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Mágramática.

Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
Todo verbo é livre para ser direto ou indireto
Nenhum predicado será prejudicado
Nem tampouco a frase, nem a crase
Nem a vírgula e ponto final.
Afinal, a má gramática da vida
Nos põe entre pausas
Entre vírgulas
E estar entre vírgulas
Pode ser aposto
E eu aposto o oposto
Que vou cativar a todos
Sendo apenas um sujeito simples
Um sujeito e sua visão
Sua pressa e sua prece
Que enxerguemos o fato
De termos acessórios para a nossa oração
Adjuntos ou separados
Nominais ou não
Façamos parte do contexto
Sejamos todas as capas de edição especial
Mas, porém, contudo, todavia
Sejamos também a contracapa
Porque ser a capa e ser contracapa
É a beleza da contradição
É negar a si mesmo
E negar a si mesmo
É muitas vezes encontrar-se com Deus
Com o teu Deus.
Senhoras e Senhores
Que nesse momento em que cada um se encontra agora
Um possa se encontrar ao outro
E o outro no um
Até por que
Tem horas que a gente se pergunta...
Porque é que não se junta tudo numa coisa só?

Teatro Mágico.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Tremor.

Como no dia da queda do World Trade Center, estou apreensiva. E lá, no Haiti, agora, sem água, sem comida, sem local para dormir, sem nenhuma segurança. Eles estão precisando de ajuda em suas necessidades, e talvez, muitos que lêem aqui, nunca passaram por situação parecida. Não sabemos do medo, da profundidade da dor. Muitos devem chorar agora porque queriam estar no lugar dos mortos, poucos querem a vida nesse momento de desespero. Pessoas que conviviam com eles e num tremor, o que não faltava começou a faltar. Além de suas necessidades já serem escassas a muito tempo, eles agora sentem falta dos entes queridos nessa batalha, sofrem com os feridos e a fome ainda prevalece. Ajuda chega, mas ainda estão mantendo guardados todos os mantimentos, pois não estão conseguindo organizar a logística. Vai demorar... Começa o estudo do todo o lugar, do local onde foi mais afetado, a desorganização de um país agora livre de leis, mas preso por não conseguirem viver sem elas. E nisso tragédia, devastação, destruição. E é lógico, dentro de nossos corações também acontecem alguns terremotos. Coisas nossas onde tínhamos certo a força, a proteção, a verdade, coisas que achávamos indestrutíveis de repente caem num tremor. Começamos a compreender sobre nossa estrutura e percebemos que depende de nós isso gerar morte, pois a verdade é que há esperança num tremor. Foi assim com Jesus, morreu e muitos ressuscitaram voltando para os seus. Mas não podemos esquecer, Jesus precisou morrer...

Pra tudo, primeiro uma destruição e é preciso urgência para a sua construção, porque existe quem esteja esperando o abrigo e o suprimento para sanar suas necessidades, onde, a partir daí, talvez, outras construções se erguerão...
Tudo depende da fé e dedicação de cada um.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Lembre-se:



Quem ama sempre perde!

"... e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á."