sexta-feira, 11 de janeiro de 2008





Momento de reflexão onde a Verdade foi pregada ao coração que agora se pergunta sobre o difícil retorno ao essencial.
Retornar à seiva da Vida, volver a intimidade que o primeiro amor proporciona junto ao Pai.
Busca no que um dia já foi “a melhor parte”em você...

Uma igreja que ama a ortodoxia, a sã doutrina e o compromisso com o correto.
Perfeito para a religião dos fiéis contra os infiéis, mas totalmente nulo ante Aquele que não nos chamou para amar doutrina.

Aaaaaaaah!
Quando fala do ramo que pensa que pode existir e viver fora da Videira, Ele fala da presunção...

Pois é...

Há o primeiro amor, qual seria o último?

Talvez seja esse amor a doutrina e as obras.
Grandes feitos e performances JUSTAS e SÉRIAS.


Tsc.. tsc..tsc..


É mais cômodo falar de amor do que amar.
A obra maior é boa e simples, sem observadores e sem testemunho a dar.
Digo e repito, é mais fácil cozinhar e limpar a casa para Jesus, do que ficar quieta aos seus pés.

Maria descobriu que o mundo acaba ao ouvi-Lo.
Marta foge da grande entrega...

É preciso crer como criança, mas nossa “maturidade“ repudia.
Muito infantil!!
É..
Por isso que é muito difícil voltar ao primeiro amor.
Depois de tanta história e experiência, agente fica
cínico e “casca grossa”.
O problema dos efésios não foi uma questão de doutrina correta, mas de amor.
***Nenhuma conversão é mais difícil do que aquela que nos leva ao “último amor”.

Aprendi e espero que aprenda também que criar uma fábrica de obras não significa que você esta dando fruto para Deus.
Em Deus somente o amor dá fruto, e sem amor nada é além de obra.

2 comentários:

Tathiana disse...

Paulinha!
Eu te amo!
Que Deus continue usando tua vida pra falar dos planos e das vontades dEle pra nós que estamos aqui!

Fica na Paz e que nossas obras sejam verdadeiras e de coração voluntário.
Bjao

Marcus Henrick disse...

NOSSA !!
Semana Passada Eu ouvia uma PALAVRA sobre a VIDEIRA e os Ramos.. JESUS é VIDEIRA... a Igreja é um raminho que precisa DELE pra VIVER,
Ontem Foi ministrada uma Palavra sobre UNIDADE lá em Goiânia..
E AGORA lendo seu texto.. meu "sensor-aranha" ativa...
É TEMPO de UNIDADE, não estar junto, mas "algemar-se no outro" não o prendendo.. mas não deixando cair no abismo sozinho !!

O AMOR de DEUS tra PAZ !!